africa do sul safari
África África do Sul Natureza

África do Sul: Joanesburgo e Safári no Krueger Park

Como boa amante da natureza e dos animais, a viagem dos meus sonhos SEMPRE foi África, mas como existe uma lenda (que não é tão lendária assim…) de que trata-se de uma viagem perigosa para mulheres, principalmente sozinhas, fui postergando esse sonho, esperando a oportunidade de ter a companhia de um bofe lindo e forte 💪🏻 que pudesse me salvar das possíveis desventuras. Só que o bofe não apareceu antes do meu aniversário de quarenta anos, e como já havia combinado com as amigas que viajaríamos para comemorar a chegada da idade da loba 🐺, escolhemos um destino: Peru.

É a mais elegante!

Claro que das 6 amigas, sobrou apenas uma loba na minha alcatéia, afinal cia para viajar não é tão fácil de conseguir né? Daí a importância de nos transformarmos em mulheres empoderadas que viajam sozinhas! 😉

Como as girafas! Elas se reúnem para socializar mas são independentes e vivem sozinhas, acho que por isso sempre amei tanto elas e foi o bicho que mais gostei de ver! 🥰

Desde minha experiência de viagem com o Hotel Urbano, aprendi a sempre pesquisar no site deles quais destinos estão em conta para o período escolhido para a viagem, já que milagres eles não fazem e se está barato por lá, vale a pesquisa de quanto gastaria viajando por conta própria! Qual não foi minha surpresa ao encontrar um pacote de 5 dias para a África do Sul, com aéreo, hospedagem e safári inclusos por R$3500,00! Independente que sou, pesquisei o valor da passagem, safáris, hospedagem, carro para alugar, blogs de viajantes solo falando sobre a segurança do destino e tcharããã: destino da viagem das lobas alterado para África! uhuuu!🤸🏻‍♀️🐺🇿🇦

Lembre-se que a África do Sul exige o certificado internacional de vacinação contra a Febre Amarela, e a vacina fracionada que foi a aplicada pelo Governo na campanha de vacinação não serve, você deve procurar um posto de saúde e tomar a dose inteira! Após estar com a vacina em dia, acesse o Portal de Serviços do Governo e peça a emissão do seu certificado internacional, fica pronto em uma semaninha! Caso vá alugar carro, precisará também da Permissão Internacional para dirigir, veja como fazer aqui.

Sobre a melhor forma de levar dinheiro para a África do Sul: não compre Rands aqui no Brasil! Essas moedas “diferentes” costumam ser mais valorizadas aqui, e geralmente você precisa encomendar a compra, mas a Confidence pode ter alguma quantia a pronta entrega.

Eu optei por levar U$400,00 e ir trocando lá conforme a necessidade, e peguem essa dica: no aeroporto internacional de Guarulhos existem duas agências do banco Safra lá na área do Duty Free e você consegue trocar dinheiro pagando 1,1% de IOF mesmo se comprar pelo cartão de crédito, desde que compre R$2000,00. Mas verifique sempre a cotação do dólar deles antes, pode ser por este site! Eu troquei alguns rands ali para já chegar com dinheiro local em mãos, e eu também sabia que os U$400 que estava levando não seriam suficientes para pagar tudo e eu teria que gastar no crédito (pagando 6% IOF em vez dos 1,1% oferecidos por eles!) ou sacar na moeda local pagando as taxas bancárias (no meu caso o Santander cobra R$25 por saque, mais 1,1% IOF). Mas depois que vi a cotação do Rand lá no aeroporto de Joanesburgo (U$1= R14,73), percebi que realmente a melhor opção é trocar lá, levando dólares ou euro.

Eu venho desenvolvendo uma técnica para não ficar tão sujeita à variação cambial na hora de viajar, mas isso é matéria para outro post! 🙌🏻🤗

A viagem foi agora em Outubro/2019, e a passagem aérea pela Latam estava custando por volta de R$2200,00 ida e volta para Joanesburgo, ou por 21.000 milhas aéreas pelo programa fidelidade deles (Latam Pass). Na época a cotação do dólar estava em média R$4,20 e o Rand estava por volta de R$0,30. Alugamos um carro básico com antecedência da empresa Avis, via site Expedia que custou U$63,23 (R$265,56) para os 5 dias; a empresa oferece seguros para o uso do carro que podem ser:

Que preguiça boa!
  • R245 (R$73,50) por dia com cobertura total;
  •  R177 (R$53,10) e se algo acontecer paga U$5000,00;
  •  Seguro apenas para emergências mecânicas e pneus de R30 por dia (R$9,00).
  • Caso não queira pagar seguro pra dar aquela economizada confiando na sorte, se bater o carro será cobrada uma taxa de U$20.000,00. Essa foi nossa opção, já que nunca tive problemas com carros alugados, mas também nunca tinha dirigido em mão inglesa e logo no primeiro dia bati o pneu na guia e ele furou 😳; além de perder a tarde inteira para resolver tivemos que arcar com o custo do conserto, que foi de R400 (R$120,00) e na hora da entrega durante a revisão eles encontraram uns ralados embaixo do parachoque da frente, e também uma das calotas tinha sido roubada no dia que passeamos em Maboneng e nós nem percebemos, por isso foi descontado mais R4043,45 (R$1213,00) do cartão de crédito após a entrega do carro… 💸💸

Lição aprendida: melhor pagar o seguro!

O total de gasto com gasolina, durante os 5 dias que passamos em Joanesburgo e contando a viagem ida e volta ao Krueger Park passando pela Rota Panorâmica foi de R1427. (R$428,00, lembrando que todos esses valores correspondem à cotação da época!)

Tem gente que acha feia, amei as Hienas, fofas!

Por questões mais de segurança do que de blogueiragem sempre que viajo fico conectada à internet o tempo todo, e para essa viagem comprei o chip do celular no aeroporto QR Tambo, as maiores empresas da África do Sul são a Vodacon e a MTN, e as duas lojas ficam uma do lado da outra no saguão de desembarque, teoricamente a área de cobertura da Vodacon é maior, mas eu comprei o MTN por estar mais barato e ele funcionou super bem, inclusive lá no meio do Krueger! Paguei R63,20 (R$19,00) pelo chip e R399 (R$119,00) por 6GB de internet e ganhei 5 minutinhos de ligação 😅. O da Vodacon estava R105 (R$31,50) o chip é mais de R400 por 5GB de internet. Lembre-se de verificar a ativação do seu chip ainda dentro da loja para ter certeza de que está funcionando normalmente!

Para se hospedar na cidade, se você tiver grana fique em uma das áreas turísticas como Melrose Arch, mas se como eu você precisar dar uma economizada na estadia para poder gastar com Safaris, cervejas e passeios, uma ótima opção é ficar hospedada no bairro de Sandton, que é bem localizado e não tão caro quanto os turísticos! Eu fiquei hospedada no Anka Lodge, a 1km de distância de Melrose Arch e o Uber do nosso hotel até Melrose Arch dava em média R25, o que não dá nem R$10, além de ficar do lado de um shopping com tudo que precisávamos por perto. A diária foi R795 (R$238,50) para o quarto duplo.

Encontramos 3 filhotes e ficamos um bom tempo admirando os pimpolhos brincando! 🦁

As estradas que vão de Joanesburgo até o Krueger são ótimas (N12 e N4), muito bem sinalizadas, e tanto o Google Maps quanto o Waze funcionam muito bem, eu tracei  rota com todas as paradas que fizemos pelo nome e a parada final com o nome do nosso Lodge perto do Krueger, então não é fácil se perder por ali, mesmo para mim que sou perdida por natureza, não erramos nenhuma vez o caminho! Também fiquei impressionada com a educação dos sul africanos no trânsito, muuuuuito mais educados que nós, pelo menos aqui pela região Sudeste do Brasil! Mas fique atenta, os comércios e postos de gasolina fecham cedo, e não é recomendado dirigir a noite por lá, dizem ser perigoso, mas na volta eu dei uma ignoradinha nessa recomendação e chegamos em Joanesburgo por volta das 20h, sendo que o sol se põe as 18h, dirigi uma horinha no escuro, mas eu já estava entrando no grande centro urbano, não estava lá no meio do nada perto do Krueger 😉. As estradas tem pedágios e no carro já tinha o Tag de cobrança automática, mas certifique-se na operadora antes.

Saímos do hostel às 5:30h da manhã, junto com o nascer do sol, paramos para tomar café da manhã e até sairmos de Joanesburgo já eram 7h. Foram 9 horas de viagem, com paradas na cidade de Graskop para comer e abastecer o carro, e nos principais pontos da Rota Panorâmica (estrada R532, com apenas 72km de extensão, que acompanha o Blyde River Canion). Não se esqueça de levar água e algum lanchinho pois nas paradas da rota não existe comércio, apenas moradores locais vendendo lembranças e artesanato. 

Minha sequência de paradas na Rota Panorâmica foi: The Pinnacle (custa R17/pessoa), depois God’s Window (R17), Wonder View que é só um local na estrada com uma vista bonita do Canion, Berlin Falls (R15), essa é uma cachoeira que tem 80m de altura mas eu achei meio sem graça; e por último Three Rondavels (R30), que para mim foi o ponto mais lindo de todos e o que gastamos mais tempo! 

Nosso hotel na região do Krueger foi o Lion Tree Top Lodge, reservado via Booking por R6400 com café da manhã e jantar inclusos (R$959, mas dividi o quarto com a coleguinha!). Essa não era minha primeiro opção de estadia, eu queria ter ficado hospedada no Muweti Busch Lodge que havia sido indicado por uma colega lá da nossa comunidade de viajantes e, ou no Phelwana Game Lodge indicado por uma amiga também, esse é mais chique, tem até piscina privada nos bangalôs!

Comitiva de boas vindas do hotel ❤️🇿🇦

Mas como não tinha mais vaga disponível, reservei o Lion por estar livre, então planeje sua estadia com antecedência para conseguir ficar no local desejado! Esses dois lodges ficavam mais no meio da natureza do que o que eu acabei ficando, mas gostei muito do hotel! Toda noite a janta é em volta de uma fogueira com todos os hóspedes sentados em círculo, a comida é espetacular e os funcionários são uns amores! Chegamos por lá umas 16h da tarde, e deu pra aproveitar o fim de tarde na piscina tomando uma cervejinha local, rodeada por macacos e impalas!

Esse ai não queria me emprestar a cadeira da piscina não 😅

Já nessa primeira noite após o jantar fiz um Safari noturno dentro da própria reserva particular do hotel, que é encostada na cerca do Krueger. Nesse Safari já vimos 4 dos tão procurados Big 5, ficou faltando só o leão. O mais bacana foi ver o rinoceronte! Que bicho enorme e lindo! Sabiam que só existem mais 3500 no mundo? A caça ilegal está acabando com eles… vimos também um filhote de leopardo em cima da árvore! Adorei a experiência e super indico, até porque foi relativamente barato: R250 (R$75). A duração é de 2h mas o funcionário ofereceu para ficar mais tempo!

O dia seguinte foi o mais esperado dia da viagem para mim: dia de Safari no Krueger Park! Existe a possibilidade de fazer o Safari por conta própria se você estiver com carro alugado, e é bem baratinho! (R372 ou R$110 para passar o dia). Aconselho a estudar bem esse site deles antes de se aventurar sozinha por lá!

Mas nós optamos por fechar o passeio guiado com o próprio hotel, tanto pela comodidade quanto por ter ouvido vários relatos de pessoas que foram sozinhas e não conseguiram ver tantos animais como eu vi, porque os guias conversam e dão dicas de onde os animais mais difíceis de serem vistos estão! E foi com uma dica dessas que fomos atrás de uma trupe de leões que tinha matado uma girafa e estavam fazendo a siesta quando chegamos, eram 4 machos lindos e louros! Hahaha. Pagamos R1950 (R$584) com um lanche incluso, já que saímos do hotel as 5h e não pudemos tomar o café da manhã no hotel.

No começo do passeio fiquei preocupada e até um pouco irritada porque choveu e esfriou (o clima por lá muda sem aviso prévio!), e nós estávamos naqueles carros abertos de Safari. Mas eles oferecem cobertores quando o tempo esfria! Cheguei a perguntar para o guia sobre a possibilidade de pararmos e voltar no outro dia para terminar o passeio e conseguir aproveitar mais. Mas graças a Deus ele nos convenceu a continuar e prometeu que na verdade estávamos com sorte, pois os animais, principalmente os felinos, ficam mais ativos quando o clima está mais frio. O resultado? Vimos 14 leões nesse dia! Muita gente vai no Krueger e não vê nenhunzinho! Então se o tempo estiver feio no seu dia de Safari, não desanime!

A energia de estar lá na savana, no meio daqueles animais magníficos, totalmente conectada com a natureza é especial, uma sensação indescritível! Fiquei emocionada e muito muito feliz! 

Na manhã seguinte fizemos o passeio com as leoas brancas do West, que é o proprietário do Hotel que ficamos, ele resgatou elas com apenas 5 dias de vida e hoje com 5 anos elas vivem em uma área cercada bem grande na reserva dele, podendo inclusive caçar por ali. Elas são enormes, muito maiores dos que os leões que vimos na natureza, porque elas comem todo dia. Gostaria de deixar claro que sou TOTALMENTE contra qualquer tipo de exploração animal voltada para o turismo, e por isso me recusei a ir visitar o Lion Park, onde você pode pagar para interagir com filhotes de leão; esse não é o caso ali, o West faz um trabalho de preservação dos leões junto à comunidade e aos turistas, o passeio começa com uma breve palestra dele a respeito da caça aos leões, que infelizmente é legalizada na África do Sul, e inclusive existem alguns lugares que os criam para vender aos lugares onde se pode caçar.

Olha a pose e o tamanho dela!

Você sabia que só existem 14mil leões selvagens? Ele nos contou um caso muito triste, a respeito de um antigo administrador do Krueger que era corrupto e ele mesmo caçava os leões no parque para vender ao mercado asiático, os chineses acreditam que os ossos dos leões podem curar câncer e Alzheimer, e pagam uma fortuna por eles, o que estimula a caça por ali… Nesse passeio não há qualquer tipo de interação com os animais, só participamos do passeio matinal diário que o West faz com elas, e ficamos separados por duas cercas dele e das leoas, mas mesmo assim a experiência foi muito legal, estar a 3m de distância de uma leoa daquele tamanho é algo que vou guardar para sempre na memória! Esse passeio custa R450 (R$135), e a duração é ditada por elas, as leoas, se quiserem andar andam, se não estiverem a fim não andam, elas que mandam!

De volta à Joanesburgo, jantamos em um restaurante de comida típica chamado Kitamu Taste of Africa, na área turística chamada Melrose Arch (você pode encontrar esse restaurante com o nome de Moyo também); ele é bem famoso, tem música ao vivo aos fins de semana e eles pintam seu rosto da maneira como a tribo do Mandela costumava se pintar. Comi um prato de Kudu, por indicação do garçom, é uma espécie de viado, mas nossa, que viadinho gostoso! Hahaha! Um belo jantar, regado a um ótimo vinho saiu por R$120!!!

No nosso último dia fomos ao museu do Apartheid, o ingresso custa R100 (R$30), e gastei umas 2 horas por lá. Sou uma apaixonada pelo comportamento humano e portanto também pela nossa história, mas confesso que achei o museu um pouco cansativo, não tem muitas coisas interativas, é basicamente um livro escrito em paredes, com alguns vídeos… Acho que eu preferia ter feito um passeio pelo Soweto, ou passar o dia no Cradle of Humankind, sítio arqueológico onde foram encontrados os primeiros hominídeos. Ou ter feito o passeio de balão sobrevoando o Krueger!

Depois fui almoçar no bairro Maboneng, que hoje é conhecido por ter uma vida cultural e gastronômica crescente na cidade. Vale dar uma passeada por ali, no cruzamento da Fox St com a Kruger St! Comi outro prato típico no restaurante PataPata, eu realmente AMEI a culinária sul africana, suas cervejas e os vinhos, desses nem preciso falar né? São mundialmente conhecidos, principalmente o Pinotage, que é uma uva típica da região, não deixe de provar! A comida por ali é mais barata e tão boa quanto a do restaurante chiquetoso que jantei em Melrose Arch…

Os bangalôs dos hotéis na região do Krueger são geralmente assim: telados, e você toma banho e faz xixi observando girafas, búfalos, elefantes… 🇿🇦🥰❤️

Fim de tarde fomo em um bar Rooftop chamado Living Room, nesse mesmo quarteirão de Maboneng, subimos para ver o pôr do sol tomando alguns drinks. Para quem gosta de um lounge o lugar é bem bacana, cheio de plantas em um ambiente bem “jungle”, bebidas e comidas a um preço justo, música boa, adorei!

Ah, uma última dica preciosa: você sabia que a África do Sul é um dos maiores produtores de jóias em ouro e pedras preciosas? Por conta disso o preço das jóias lá é bem mais em conta do que por aqui! Como sou muito alérgica e só consigo usar brincos de ouro e prata fui dar uma pesquisada nos valores das joalherias presentes no aeroporto, porque não tive tempo de fazer isso nem em Joanesburgo e nem na Cidade do Cabo, acredito que no aeroporto deva ser mais caro, mas mesmo assim comprei dois brincos, um de ouro e um de ouro branco e gastei R$300, comparando com valores de brincos parecidos a venda pela internet no Brasil eu gastaria uns R$800!

Outra dica bacana: na África do Sul existe aquele esquema de reembolso de valor pago em imposto (Tax Free), para isso você precisa guardar as notas das lojas, que tem o número do VAT, avise ao vendedor que você vai pedir o reembolso do imposto para que ele te entregue a nota correta. E deixe os itens comprados fáceis de encontrar dentro da mala pois eles podem pedir para verificar os produtos comprados. Chegue com antecedência ao aeroporto e procure pelo posto de reembolso, ele é válido para jóias, eletrônicos, roupas e até bebidas! Eu não cheguei a comprar muitas coisas por lá e por isso não pedi o reembolso, mas fiz em uma das minhas viagens para a Europa e recebi um valor bom de volta, vale a pena se você for uma viajante consumista!

Resumo dos gastos!

No dia seguinte, peguei um vôo para a Cidade do Cabo sozinha, pela Kulula Airlines, por R$550 ida e volta com bagagem, se você entende bem inglês e precisar ir de Joanes para qualquer outro lugar da África dê uma pesquisada no site deles, gostei da empresa! Minhas aventuras viajando sozinha por Cape Town já são assunto para um ooooutro post…

Compartilhe:

Veja isto também...

8 Comments

  1. Maristella Rodrigues says:

    Eu não falo inglês, vc acha q daria para sobreviver? rs

    1. Oi Maristella! Fica um pouco mais difícil, mas hoje em dia você pode usar algum aplicativo de tradução ou até mesmo o Google Tradutor para te ajudar! As pessoas lá na África do Sul são super simpáticas e solícitas, com certeza se esforçarão bastante para te ajudar. Mas nesse quesito tem que ficar um pouco esperta, muitos oferecem ajuda em troca de dinheiro por lá viu? É um hábito deles, então se não estiver disposta a pagar gorjeta fique atenta e peça ajuda somente de funcionários do hotel, restaurante, do guia que estiver com você… Mas existem algumas frases de sobrevivência em inglês para viajar que seria interessante você aprender, estou pensando em lançar um ebook com essas dicas, que tal?

  2. Muto bom seu relato. Você tem uma forma de escrever direta, leve e de fácil entendimento. Parabéns!! Ansiosa pelo post de Cape Town.

    1. Oi Suely, obrigada queridaaaaa!

  3. Great content! Super high-quality! Keep it up! 🙂

  4. Woah! I’m really digging the template/theme of this site. It’s simple, yet effective. A lot of times it’s very difficult to get that “perfect balance” between usability and visual appearance. I must say that you’ve done a superb job with this. Also, the blog loads super fast for me on Chrome. Outstanding Blog!

  5. Useful information. Lucky me I found your web site by chance, and I’m stunned why this coincidence didn’t happened in advance! I bookmarked it.

  6. Howdy! Do you know if they make any plugins to assist with Search Engine Optimization? I’m trying to get my blog to rank for some targeted keywords but I’m not seeing very good gains. If you know of any please share. Cheers!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *