Dicas Segurança vai sozinha?

14 Dicas de segurança para Mulheres que viajam sozinhas

Por mais que o sexo feminino tenha lutado muito e evoluído horrores na direção da liberdade e igualdade de direitos, a mulher ainda está muito mais sujeita a situações de perigo. E lembre-se que essa evolução feminista não aconteceu em todos os lugares do mundo…

Viver em grandes centro urbanos no Brasil, por si só, já não é algo totalmente seguro nos dias de hoje, visto o abandono das autoridades governamentais aos assuntos relacionados com a segurança da população. Por isso ouso dizer que sim, viajar sozinha pode ser muito mais seguro do que ir a pé buscar pão na padaria, se o seu destino for um país com baixo índice de criminalidade. Alguns lugares são muito seguros para mulheres viajantes, como a Nova Zelândia e o Reino Unido, mas outros podem fazer você pensar duas vezes antes de arriscar uma viagem solo. Principalmente países muito pobres ou onde ainda impera a cultura machista, como as nações árabes não ocidentalizadas e a Índia.

Então você me pergunta: “Mas então eu não posso visitar tais países sozinha?” Acredito que com um bom planejamento, e seguindo dicas básicas de segurança, possamos viajar para qualquer lugar, desde que cientes dos riscos inerentes a esse destino. Cabe a você decidir se aquele risco vale a pena ser corrido. Eu por exemplo, não entraria espontaneamente em uma favela, ou viajaria para regiões de conflito nem se estivesse muito bem acompanhada, mas cada uma sabe onde o calo aperta, certo?

Infelizmente quando se é mulher, vários riscos são adicionados. Mas isso é um fato intrínseco ao ser mulher, em qualquer parte do mundo, então não vou me aprofundar nesse debate, ao menos nesse texto em específico, apenas alertar para que criemos todos consciência de, sempre que possível, olhar pela segurança de uma mulher, mesmo que ela seja uma completa desconhecida…

Deixo aqui algumas dicas que costumo seguir quando faço minhas aventuras sozinha, se você tiver algo a acrescentar deixe seu comentário e vamos juntas filosofar e encontrar cada vez mais meios de nos sentirmos seguras onde quer que estivermos!

Palácio Schonbrunn, Viena-Áustria


1 – Pesquise sobre a história e cultura local

Uma das principais coisas para passar “despercebida” em suas viagens é fazer a lição de casa de qualquer bom viajante: pesquisar exaustivamente sobre o destino escolhido, sua cultura, costumes e situação política atual. Um comportamento considerado comum no seu país pode ser muito mal visto em outro e isso pode vir a te colocar em situações de conflito, esteja atenta e principalmente aberta a aprender sobre as diferenças culturais e as respeite, SEMPRE!

Converse com pessoas que já viajaram para aquele destino, e mesmo que não conhecer ninguém, as redes sociais estão aí para isso! Eu mesma tenho um grupo sensacional no Facebook para mulheres que viajam sozinhas com mais de 112 mil participantes, faça sua pergunta por lá, será muito bem vinda em nossa comunidade!


2 – Avalie a hospedagem em relação a segurança e localização

Principalmente se for ficar em quartos compartilhados de hostels ou casas de anfitriões. Procure acomodações que tenham apenas boas avaliações nos quesitos segurança e localização em sites de confiança como o Hostelworld, Booking, Tripadvisor… Eu costumo ler TODOS os comentários!

Você não precisa fechar sua acomodação através desses sites, pois muitos deles cobram uma taxa adicional pelo serviço, o que pode encarecer o custo, mas não deixe de pesquisar nesses grandes portais de viagens se a acomodação que escolheu é bem avaliada.


3 – Compartilhe sua localização

Viajando sozinha ou acompanhada, sempre avise sua família e amigos próximos sobre seu roteiro detalhadamente: números dos vôos e telefones dos hotéis são primordiais. Eu, particularmente, gosto de fazer isso por mensagem escrita pra deixar tudo muito bem registrado, acho que por ter problemas de memorização não confio na memória alheia! hehehe…

Um recurso que usei muito durante esse último carnaval foi compartilhar minha localização ao vivo pelo WhatsApp, esse recurso permite que a pessoa com a qual você compartilhou consiga acompanhar sua localização por até 8 horas! Veja aqui como funciona.

Dê sempre aquele alô ao mudar de destino ou após alguns dias sem comunicação, nem que seja apenas postando nas redes sociais. Nessa linha de raciocínio seguimos com a próxima dica:


4 – Esteja sempre que possível conectada à internet

Dependendo do local visitado você terá ou não acesso fácil a um ambiente com Wi-Fi, mas para não depender da sorte, eu costumo comprar um chip de celular com pacote de dados. Existem alguns que você pode pedir e receber em casa, como o easysim4u, mas geralmente os comprados diretamente no país de origem costumam sair mais em conta, tudo depende do seu perfil: comodidade ou economia?

Mês passado fui até uma loja da Claro entender como funcionam os planos internacionais oferecidos pela operadora e acabei fazendo a portabilidade do meu celular para eles, pois o valor do plano sairia o mesmo que gastava com a Tim e eles oferecem um pacote que funciona normalmente nas Américas por apenas R$9,90 a mais, existe também um para Europa por R$19,90 e um Mundo por R$29,90! Achei bem interessante, para mais informações visite o site da Claro ou vá até uma de suas lojas físicas.


5 – Não fique sem uma forma de contato e identificação

Não corra o risco de ficar incomunicável, leve sempre com você um carregador portátil para carregar o celular caso fique sem bateria. Lembre-se também de ter anotados em papel os telefones úteis como o da embaixada/consulado brasileiro do país visitado, o número de emergência do Ministério de Relações Exteriores (61- 98197-2284, que somente deve ser usado em situações reais de emergências!), número do local de sua hospedagem e pesquise se existe um número de emergência local, como nosso 190.

Ande sempre com algum documento com foto, mas não fique passeando com seu passaporte! O passaporte brasileiro é bem visado para roubo devido à grande miscigenação do nosso povo, qualquer um pode ser brasileiro: negro, árabe ou japonês. Eu costumo levar apenas uma cópia junto com minha CNH, até porque se for alugar um carro você pode precisar dela também. Mas é sempre importante verificar a legislação do país visitado, pois alguns não aceitam cópias!


6 – Não dê liberdade a estranhos

Nós brasileiros temos um jeitinho todo íntimo de já sair conversando, beijando no rosto, pegando no braço e abraçando pessoas que acabamos de conhecer. Lembre-se que essa é uma característica da nossa cultura, e em grande parte do mundo as pessoas são bem mais reservadas, então um simples gesto como comprimentar um cara que conheceu na balada com um beijo no rosto pode enviar um sinal errado, e se for a pessoa errada recebendo esse sinal, algo ruim pode acontecer… Sei que é chato ficar se policiando, principalmente se como eu você for solteira e está procurando conhecer pessoas novas durante suas viagens, mas só se abra com quem realmente sentir confiança!


7 – Não ande sozinha tarde da noite

Por mais seguro que o país seja, existem cuidados que como mulheres infelizmentes precisamos tomar em qualquer lugar, considero não andar sozinha tarde da noite um deles. A oportunidade faz o ladrão, como diria minha avózinha.


8 – Transporte seguro

Acho muito bacana alguns relatos de mulheres que viajam por aí pegando carona, conheço histórias de experiências sensacionais, mas eu particularmente prefiro utilizar meios de transporte públicos e movimentados como metrô ou aplicativos oficiais que garantem a origem dos motoristas, como o Uber ou Cabify, eles funcionam em muitos países, mas lembre-se de consultar se estão disponíveis no local antes da viagem.


9 – Não se mostre perdida

Se não souber exatamente como fazer para chegar até o local que está procurando ou caso se perca em algum lugar mais movimentado, tente disfarçar e entre em algum comércio para então analisar o mapa e peça ajuda aos funcionários do local. Se não encontrar nenhum local assim por perto, sente em frente a uma casa, fique em frente a um prédio com porteiro, ou pare em algum canto discreto para descobrir onde está e para onde deve ir. Pratique essa discrição sempre, quando precisar vai estar uma perfeita atriz! rs!

Baixe sempre o mapa da cidade em seu celular para acessá-lo offline, afinal você pode ficar sem sinal de internet a qualquer momento!


10 – Simplifique em vez de ostentar

Não ande com jóias e equipamentos caros à vista. Talvez por ter crescido em São Paulo eu já tenha esse hábito tão enraizado em mim e por isso dou muito valor a ele, masssss eu nunca fui assaltada! Existem vários países na Europa em forte campanha de conscientização dos turistas contra os pick pockets, famosos ladrões de carteira. Se você fosse um ladrãozinho batedor de carteira e passassem por você duas mulheres, uma com bolsa de marca e brincos brilhantes e outra vestida de maneira mais simples, qual das duas escolheria? Tente passar despercebida na multidão…


11 – Carregue algum tipo de arma de defesa pessoal da bolsa

Eu tenho um canivete, mas existem outras opções como spray de pimenta, vale lembrar de verificar as leis do país em relação ao porte e uso desse tipo de arma.


12 – Não exagere na bebida alcoólica

Para as coleguinhas que como eu curtem uma boa saída a noite regada a um bom drink, é claro que podemos curtir e nos divertir, mas vamos beber com moderação e nunca esquecer que as pessoas que estarão conosco, por mais legais que possam ser, são completos desconhecidos. E como minha mãe sempre disse: não beba do copo dos outros! Não precisamos ser paranóicas, mas a quantidade de casos de mulheres que são drogadas sem perceber é incrível, melhor prevenir do que remediar, e mesmo que o boy queira te pagar uma bebida, escolha e peça você mesma por ela.

Uma cervejinha e muito bom humor costumam fazer parte das minhas viagens!

Você sabe perceber quando é hora de deixar o copo de lado? Se ainda não tem esse feeling, comece a praticar em festas de amigos e família, saiba quanto e o que você pode consumir de álcool para ainda se manter sóbria o suficiente para se virar completamente sozinha…


13 – Use uma aliança mesmo que seja fake

Pode parecer ridículo e um tanto quanto machista, mas use uma aliança de casamento mesmo se for solteira, isso passa a ideia de que você está sozinha naquele momento, mas que existe alguém por perto ou a caminho de te encontrar. A possível presença de um homem faz com que você deixe de ser um alvo frágil e indefeso, principalmente em países com culturas machistas. É irritante, eu sei, mas super funciona para espantar homens inconvenientes! 🙁


14 – Tenha um amigo imaginário

Agora é o momento que você pode me achar um pouco louca! rs! Mas acompanhe meu raciocíno:

Se estiver se sentindo observada por alguém estranho pegue o telefone e faça uma ligação imaginária para algum homem, combine de encontrar com a pessoa e se possível falando em inglês ou no idioma local. Você tinha um amigo invisível na infância? Eu tinha o Ulisses, e é para ele que sempre ligo 😉

O importante é se sentir livre! E você, tem alguma dica que eu não tenha descrito para me dar? Deixe nos comentários e vamos nos ajudar a ter mais coragem e segurança para desbravar esse mundão!

Compartilhe:

Veja isto também...

8 Comments

  1. Marisete Alberti says:

    Amei o site e principalmente as dicas…show guria…fantastico. Bjs.

    1. melguedes says:

      Obrigada pelo carinho Marisete!

  2. Ótimas dicas…já fazia algumas e agora aprendi mais! Obrigada!

    1. melguedes says:

      Oi Alice! Que bom que gostou, a ideia é essa mesmo, a gente fazer uma comunidade e trocar experiências pra nos ajudarmos, sempre! 😉

  3. Adorei o site, obrigada pelas dicas são muito úteis! Olha só, me identifiquei e vou colocar uma situação que foi inesperada mas serviu para todas as outras viagens. Cheguei no aeroporto de Paris e fui procurar por um taxi, fiquei na fila por alguns instantes e um casal se aproximou dizendo que ele trabalhava com seu carro particular no aeroporto e se eu gostaria de “rachar” a corrida com a tal moça…. cobrava 50 euros e seria 25 para cada uma etc… aceite e fomos. Por sorte eu havia verificado não só o valor cobrado mas também o tempo que iria demorar p chegar até o hotel. Já estava passando muito do horário e começou a “cair a ficha”. Por sorte tb, eu disse que não falava inglês nem francês (realmente não falo mas entendo os dois e isso eu não disse). Falavam um pouco de espanhol e então, eu comecei a contar “mentiras” de que meu marido (virei meu anel) era muito ciumento e já deveria estar ligando no hotel…..que eu trabalhava no governo do estado de São Paulo que é verdade mas, enfatizando “no gabinete do governador” e que eu tb estava reconhecendo o lugar etc… eles se conversavam com olhares e em inglês, acharam melhor me deixar no hotel 1º que ela etc.. me cobraram 50 euros dizendo q entendi errado e como já estava na porta do hotel, resolvi pagar e colocar um ponto final naquela situação. Que perrengue! Nunca mais!

    1. melguedes says:

      Nossa Bete! É perigoso mesmo, infelizmente, eu já cai em uma situação parecida no RJ, de ser levada por um “taxista” na saída do aeroporto, da primeira vez que fui para lá sozinha, mas quando vi que todos os táxis estavam em fila e ele estava me levando para atravessar a rua, já desconversei e voltei para trás! Obrigada pelo relato! 😉

  4. Rita Elisabete says:

    Excelentes tuas dicas!
    Essa de ficar amiguinho logo de cara é crucial. Eu sou super sociável e já corri um risco enorme e ridículo ai sair com um cara em Santorini pra conhecer as praias, de moto 🙈 pensa num arrependimento. Choveu e a moto pifou – sem relação entre os fatos, mas imagina na chuva numa estradinha deserta com a moto de um estranho pifada! Afff até hoje me arrependo horrores!
    O fato é que somos mulheres e apesar de querermos liberdade ainda estamos longe de sermos respeitadas em qualquer parte com qualquer roupa em qualquer horário!
    Beijo e obrigada

    1. melguedes says:

      Meniiiiiina que aventura! Rs! Já fiz umas maluquices assim, mas também não dá para deixar de curtir e ficar paranóica né? Só precisa realmente tomar umas precauções antes das loucuras! hehehe 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *